Primeira visão de Ellen White, para a classe de Companheiro

20/06/2011 15:57

Primeira visão de Ellen White, para a classe de Companheiro

 
Ellen White foi, sem dúvida, uma mulher extraordinária! Sem instrução acadêmica (parou de estudar na 3ª série por problemas de saúde), escreveu muitos livros sobre saúde, mordomia, administração, vida familiar, história bíblica, relacionamentos... Apenas uma pessoa guiada por Deus poderia escrever com tanta habilidade todos esses assuntos.

Um detalhe muito interessante no ministério de Ellen White, que nos motiva, é que ela começou cedo! Deus a chamou quando ela era ainda uma adolescente de 17 anos, muito mais nova do que muitos de nós. 

Ellen White foi a mensageira do SENHOR para propagar as últimas advertências a este mundo. Nossos desbravadores precisam conhecê-la, por isso, na classe de Companheiro de Excursionismo, na seção Avançado, requisito 2, temos o seguinte: "Ler a primeira visão de Ellen White e discutir como Deus usa os profetas para apresentar Sua mensagem à igreja (ver Primeiros Escritos, pág. 13-20)".

Então, aqui vai a primeira visão que ela teve, extraída do livro Primeiros Escritos, p. 13-20. Leve-a para os seus desbravadores e, depois que eles lerem, discuta com eles e veja se eles têm dúvidas. No final segue um modelo de avaliação que você pode usar para verificar se o desbravador prestou atenção na leitura.
--
Sendo que Deus me tem mostrado as jornadas do povo do advento para a Santa Cidade e a rica recompensa a ser dada aos que aguardarem o seu Senhor quando voltar de Suas bodas, pode ser de meu dever dar-vos um breve esboço do que Deus me tem revelado. Os queridos santos têm de passar através de muitas provas. Mas a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós eterno peso de glória, acima de toda comparação – enquanto não olhamos para as coisas visíveis, pois as coisas visíveis são temporárias, mas as invisíveis são eternas. Tenho procurado apresentar um bom relatório e algumas uvas da Canaã Celestial, pelo qual muitos me apedrejariam, da mesma forma como a congregação desejou apedrejar Calebe de Josué por seu relatório. (Núm. 14:10). Mas eu vos declaro, meus irmãos e irmãs no Senhor, que esta é uma terra muito boa, e devemos subir para possuí-la.


Estava em Portland, em visita à Sra. Haines, irmã em Cristo, cujo coração estava enlaçado ao meu. Cinco de nós, todas mulheres, estávamos ajoelhadas silenciosamente no culto da família. Enquanto estávamos orando, o poder de Deus me sobreveio como nunca o havia sentido antes.
 
O Espírito Santo me sobreveio, e parecia estar cercada de luz, e pareceu-me estar subindo mais e mais alto da escura Terra. Voltei-me para ver o povo do advento no mundo, mas não o pude achar, quando uma voz me disse: “Olha novamente, e olha um pouco mais para cima.” Com isto olhei mais para o alto e vi um caminho reto e estreito, levantado em lugar elevado do mundo. O povo do advento estava nesse caminho, a viajar para a cidade que se achava na sua extremidade mais afastada. Tinham uma luz brilhante colocada por trás deles no começo do caminho, a qual um anjo me disse ser o “clamor da meia-noite” Mat. 25:6. Essa luz brilhava em toda extensão do caminho, e proporcionava claridade para seus pés, para que assim não tropeçassem. Se conservavam o olhar fixo em Jesus, que Se achava precisamente diante deles, guiando-os para a cidade, estavam seguros. Mas logo alguns ficaram cansados, e disseram que a cidade estava muito longe e esperavam nela Ter entrado antes. Então Jesus os animava, levantando Seu glorioso braço direito, e de Seu braço saía uma luz que incidia sobre o povo do advento, e eles clamavam: “Aleluia!” Outros temerariamente negavam a existência da luz atrás deles e diziam que não fora Deus quem os guiara tão longe. A luz atrás deles desaparecia, deixando-lhes os pés em densas trevas; de modo que tropeçavam e, perdendo de vista o sinal e a Jesus, caíam do caminho para baixo, no mundo tenebroso e ímpio.
 
 

 

 

Material compilado do site http://www.cantinhodaunidade.com